Publicado por: fepublicidade | 2 de setembro de 2010

12º dia após a cirurgia Bariátrica ou Gastroplastia

Hoje eu não acordei legal. Passei a noite com dores.

Motivo suposto: Ades de Vitamina de Banana.

Num passado não tão distante Ades de Banana era meio indigesto, digo, ao tomar ficava “lembrando” dele por um bom tempo. Resolvi fazer o teste e tomá-lo após a cirurgia bariátrica. Achei que esse lance de ser indigesto havia desaparecido, uma vez que os arrotos sabor banana tinha desaparecido. Ledo engano, ao invés de inocentes arrotos com aroma de banana o que eu passei a sentir mesmo foi dor. Dor no 3º estágio.

Acredito que vá acontecer o mesmo com os outros alimentos indigestos da minha lista: pimentão verde e pepino. Não sei se a teoria é correta, mas daqui a 2 meses, quando puder comer sólidos, vou experimentar.

——————–

dia de ir ao médico

Todo gordinho é mentiroso. Toma o Lisador.

Hoje foi dia de tirar os pontos!

Ah, nada como mais uma etapa superada. Mas não pense que ir ao médico foi grandes coisas pra mim!

Pra começar esqueci de perguntar quando irei passar a usar complementos alimentares que ainda não me foram receitados. Droga terei que ligar amanhã!

O médico que me atendeu não foi o meu cirurgião, foi outro. Afinal era só pra tirar os pontos. Mas sabe como é né, a gente sempre espera um cara atencioso, que faz todas aquelas perguntas que você ia fazer e muito mais, o cara que te conforta. Pois é, não aconteceu nada disso. Foi um negócio vapt-vupt. Eu ficava olhando pra cara da Bibi tentando lembrar tudo que eu queria perguntar e o médico ficava me olhando com cara de “a que horas você vai embora”.

Perguntei se eu podia praticar algum esporte. Resposta na ponta da língua: NÃO. Só caminhar e não demais. Só um pouquinho.

Esqueci de perguntar se eu poderia dirigir. Mas pra variar esqueci. Me sinto ótimo pra dirigir, não entendo essa preocupação.

Resumindo falei da dor que me acompanhou desde a operação bariátrica. Ele disse que é normal (estranho porque o meu cirurgião disse que só acontece em 20% dos casos) e é pra isso que eles receitam o Lisador. Dããã. É claro que ele não fazia a menor idéia da dor que eu estava sentindo né. Parecia dor de pedra nos rins! Eu tinha a sensação que algo estava errado, tipo o cara esqueceu uma gaze lá dentro, ou esqueceu de fechar alguma coisa, sei lá!!! Lisador é pra dorzinha de cabeça e não tiro de bazuca, que era a dor que eu estava sentindo. Em fim, normal! Tudo tava normal! Vai pra casa que tá tudo normal! Xô.

Mas antes fui tirar os pontos. Quase pedi pra ele deixá-los lá. Acho que me apeguei a eles! He he he he. Não me incomodavam mais.

No maior estilo atendente do MacDonalds ele tirou os pontos. Pra cada ponto, um aiiii. Pronto, só faltou no final ele falar “Fritas acompanha senhor”

Palavras finais do médico: Toma o Lisador . Palavras finais ecoando na minha cabeça: Toma o Lisador porra, e não me enche com esse papinho de dorzinha.

——————

Voltei pra casa e fui assistir um filminho. Antes comecei a sentir um dos pontos meio gelado. Esquisito mas não liguei.

Logo antes de começar assistir resolvi dar uma checada. Xiiii, o ponto ficou meio aberto e estava vazando um pouco de líquido. Algo me dizia pra deixar os pontos lá!!!! Resolvi usar o velho truque do ponto falso.

Ponto falso com esparadrapo

Quando eu ficava sentado a barriga comprimia o buraco. Mas quando ficava em pé ou deitado ele abria. Como eu sei que isso tende a formar um cicatriz não muito bonita fiz o seguinte: Sentei e pressionei o corte de modo a fechá-lo o máximo possível. Coloquei um Micropor pra conter o “vazemento” e mantê-lo fechado. Depois peguei um esparadrapo e cortei uns 20 cm. Colei a parte de cima do esparadrapo, pressionei os pneuzinhos de modo a comprimir ao máximo o corte, e colei o outro lado da fita, ficando como uma ponte entre um pneuzinho e outro.

Agora a noite outro ponto começou a sangrar e manchou minha camiseta branquinha. O pior é que continuam coçando. Vou tomar um banho mas estou receoso porque no banho as casquinhas ficam molinhas e tenho medo que os cortes se abram mais.

Bom… vamos ver o que acontece

————————

engordar pra fazer cirurgia

engordar pra fazer cirurgia

Recebi um recado dizendo que há pessoas que pensam em engordar para fazer cirurgia e tals… Quem sou eu pra julgar alguém. Mesmo porque isso até já havia passado pela minha cabeça. Cada um sabe onde lhe aperta o calo.

Então vou contar um pouco do que aconteceu comigo pra chegar nesse ponto.

Depois que inventaram a cirurgia, acho que desde 1999 eu andava pensando nela. É faz um tempão mesmo. Ficava pensando em como seria bom voltar a ser magro de novo, e de todas as oportunidades que eu desconfiava ter perdido por ser obeso. Afinal obeso leva um monte de desvantagens, principalmente na vida social, emprego essas coisas. É uma merda. Alguns até falam que não que é coisa da minha cabeça, mas tenho certeza. A gente acaba sempre meio subjulgado por todos. Fora a vergonha de comer em público… bom em fim…

Por outro lado eu sempre soube que não é como tirar unha encravada, existem muitos riscos sérios e a morte é o menor deles. Você pode ficar paraplégico, ter seqüelas neurológicas, virar vegetal e por ai vai. São riscos sérios. Mas o que mais me afetava era o fato de ter que multilar o meu corpo para emagrecer. Isso era como assumir a derrota. Uma derrota humilhante. Aquele lance de “você não tem força de vontade” pesa muito. Fora o negócio de que a gente só escuta casos de sucesso por ai.  -Fulando emagreceu uma tonelada e tá pegando todas, Sicrana emagreceu muito e tá lindona, Beltrano tá esbelto e tá adorando. Mas o fato é que tem gente que morre na mesa de cirurgia.

Isso me arrepiava. Na tentativa de emagrecer morreu.

Fui pesquisar sobre o assunto, estudei muito e posso dizer que não se passava um só dia da minha vida que eu não pensasse nessa maldita gastroplastia. Método fácil de emagrecer. 2 meses e pronto. Não, alguma coisa isso tem de errado, era bom demais pra ser verdade.

Comecei a descofiar quando uma amiga minha que tinha feito disse que estava engordando e não conseguia atingir o peso para fazer a plástica. EPA! Engordando! Então a gente engorda depois! Vixe.

comedores compulsivos anônimos

comedores compulsivos anônimos

Nesse meio tempo entrei para o CCA (Comedores Compulsivos Anônimos) onde descobri minha compulsão pela comida. Na boa, comer uma costela inteira do Outback não e normal. Tomar 2,5 Litros de Coca-Cola sozinho não é normal. Bater um pote de 2L de sorvete numa tarde só pode ser doentio. E era mesmo. A gente só enxerga isso na gente depois que ouve o relato de outras pessoas que passam pelos mesmos problemas que você e depois descontam na comida. Fiz amizades maravilhosas por lá e aprendi muito.

Dai então passei a identificar minhas compulsões e a fiscalizá-las. Depois que fiz o CCA engordei apenas 3 kilos, e acho que já se passaram mais de 6 anos.

Depois disso fui atrás de médicos para me dizerem a verdade sobre a cirurgia. Principalmente sobre o que acontece depois da cirurgia. Conversei com uns 3 cirurgiões, sendo que alguns já queriam marcar a cirurgia. Fugi!

Até que meu psiquiatra, que é contra a cirurgia, pediu pra eu conversar com um Gastro que era mais contra que ele. Fui lá e gostei muito de saber o outro lado da cirurgia. Fui alertado que a maioria das pessoas faz pensando em emagrecer rapidamente, mas o fato é que depois da cirurgia voltam aos velhos hábitos alimentares comendo cada vez mais novamente e engordando de novo. Isso porque a cirurgia não é um milagre e sim uma chance.  Chance  de escolher outro padrão de vida e abandonar aquele que lhe faz mal. Pensei nas minhas compulsões e na falta de qualidade da minha alimentação. Odiava verduras, legumes, frutas…. em fim tudo que fosse verde e natural. Gostava é de sorvete!

Pensei comigo que se eu não tentasse mudar isso não adiantaria nada fazer cirurgia. Fazer mais uma dieta também não era uma opção, visto que a cada dieta que eu fazia engordava o dobro. Com 140 kilos não podia me dar a esse luxo. Além do mais me privar me deixaria mais deprimido do que eu já estava. Afff! É um ciclo vicioso, eu comia porque estava deprimido e ficava deprimido porque estava gordo. Oh Inferno!

Alien Salad - enfrentar saladas era como enfrentar monstros

Alien Salad - enfrentar saladas era como enfrentar monstros

O jeito foi começar a ver os legumes e verdura com olhos mais brandos. Fiz um pacto com a Bibi: sempre que ela comesse algo do qual eu não gostava, mas estivesse muito gostoso, mas muito mesmo eu experimentaria. Foi dando certo! Aos poucos eu comecei a comer alface, graças a uma exótica pizza de alface da finada pizzaria Maranata em São Carlos-SP.  Não que tivesse se tornado a primeira opção a entrar no meu prato, mas fui perdendo aquele nojinho que eu tinha. Depois passei para a rúcula, outra vitória da pizza e por ai foi. Hoje adoro uma saladinha e o Subway é o meu fast food preferido.

As frutas ainda não perdi o nojo não, mas já estou encarando alguns sucos de fruta, principalmente agora que só posso beber líquidos. Mas sempre com a devida benção da Bibi antes. Hoje me considero uma pessoa mais consciente sobre minha alimentação. Posso dizer que antes de fazer a cirurgia passei no mínimo 2 anos me preparando para mudar minha cabeça gorda para uma cabeça mais light. O importante não era mais comer muito e sim comer coisas que eu gosto. Tinha que parar de viver pra comer e começar a comer pra viver. Para mim era importante encarar essa mudança não como um desafio e sim como um novo mundo que se abria. Não que eu tivesse parado de frequentar McDonalds e Burguers Kings da vida, mas minhas visitas a eles ficaram mais espaçadas. Comecei a valorizar os sabores picantes dos lanches do Subway, logo já nem ligava pro pão e pedia só a salada mesmo. Antes pedia um lanche de 30 cm, mas logo comecei a ver que os 15 cm faziam o mesmo efeito. Aquele lance de comer muito era meio que neura minha, não precisava.

Tudo isso sempre acompanhado de perto por terapeutas, sim eles fizeram um bom trabalho também. Depois de fazer bastante tratamento contra a depressão (da-lhe fluoxetina e bupropiona) e fazer anos de terapia com psicólogos e uns cursos no Tadashi, resolvi que eu tinha que tomar corajem e mudar minha vida pra melhor. Empurrar minha vaquinha ladeira abaixo. Sair da zona de conforto de vez.

Procurei o melhor cirurgião da região. Todos os médicos no qual eu passei me levaram a crer que o Dr. Marçal da RR Médicos e sua equipe eram os melhores. E olha que eu perguntei heim!  Pelas minhas contas uns 8 médicos me deram boas referências a respeito dele. As fontes eram quentes.

Dr. Marçal parecia uma metralhadora giratória

Dr. Marçal parecia uma metralhadora giratória

Depois de muito relutar e morrendo de medo fui encarar a fera. Esperava um cara tranquilo e calmo, mas que nada, Dr. Marçal é ligado no 220, fala rápido, parece uma metralhadora giratória – “faz isso, isso e isso. Faz esse, esse e esse exame. Conversa com seus médicos e trás tudo pra mim” Vixe, depois de sair do consultório parecia que eu tinha enfrentado um tornado de palavras. Tudo muito rápido, tudo muito prático.

Lá fui eu fazer meu batalhão de exames e passar por um exército de médicos. Tudo isso demorou quase 6 meses. Muito por culpa minha, confesso. Era um lance de auto-sabotagem, algo do tipo tá bom assim pra que vai mudar. Passei por cima desse sentimento, aliás na verdade procurei não ficar pensando muito se não desistia.

Em fim depois de um tempão marquei a cirurgia. Assim como se tivesse agendado o dentista. Medo! Confesso fiquei com medo de morrer. Não de morrer em si, mas deixar as pessoas que eu amo tristes por morrer na tentativa de algo tão fútil como emagracer. Parece besteira né… mas a consciência pesa. Eu sabia que essa não era a verdade. Já estava diabético, deprimido, com apnéia , ronquidão severa entre outras coisas. Fora o fato estapafurdio no qual eu procurava mas não encontrava nenhum velhinho gordo pela rua. É sério, ou eles morrem todos antes ou ficam em casa comendo e não saem da toca, porque não vi nenhum até agora. Logo pensava, não vou chegar aos 60 desse tamanho. Para a grande maioria parece apenas algo estético, mas a verdade é que eu estava começando a morrer lentamente, assim como um fumante vai se matando bem devagarzinho eu estava fazendo mesmo com a comida. Resolvi cortar os pulmões… digo o estômago de vez para viver melhor.

Sobrevivi, pelo menos até agora.

Resumindo: Antes de fazer a cirurgia me preparei muito psicologicamente. Tentei mudar meus hábitos alimentares e fazer da cirurgia um complemento dessa mudança.

Ufa! Chega de escrever por hoje!

About these ads

Responses

  1. Esse lance de hábitos alimentares é a mais pura verdade. Antes de pensar em encarar a cirurgia meu pai ficou semanas no hospital, entrou com uma reeducação alimentar fortíssima! rs Hoje não come nem metade do que comia! É surpreendente pq muitas vezes eu, comendo minhas porcarias, acabo comendo mais que ele! Sem contar que já ficamos sabendo de muitos casos, onde a pessoa não perde os antigos hábitos e além de engordar mais, corre sérios riscos de morte, fica “entalada” com qualquer coisa… casos horríveis! Parabéns pelo blog e por cada uma das suas conquistas!
    Beijão!

  2. olá tudo bem com vc? hj fazem qtos dias que vc. fez a cirurgia? Já perdeu qtos. kg? Vc. tem tido fome, ou o que pode pode estar se alimentando é o suficiente? E dores vc. continua tendo? Vc ficou no hosp. Edmundo em apartamento ou enfermaria? Dá pra me descrever como é caso tenha sido em enfermaria? o meu convênio autorizou la mas na enfermaria e estou curiosa pra saber como é. Se puder por favor me responda, obrigado

  3. opa, tudo certo? fiz cirurgia vai fazer um ano… estudei muito sobre o assunto ate para ajudar outras pessoas…
    se quiser conversar é so add no msn: tuzinhu_naveia@hotmail.com
    abraçao

  4. Olá estamos na mesma situação hoje (23/09)está fazendo 15 dias que eu fiz a cirurgia! Ate o dia 30 ficarei com a dieta liquida (que por sinal ja estou enjoada de tdo!!! nem mesmo a água de coco q eu amava tem me agradado tanto rs…)depois do dia 30 passarei pra dieta pastosa não vejo a hora!! Não tenho sentido tanta fome acho que é muito mais a vontade de comer alguma coisa que não seja liquida!
    Mas achei legal você estar escrevendo o seu dia a dia no blog,ler me fez ver que eu não sou a unica passando por tudo isso.
    Beijo otima recuperação pra você!

    • Valeu Pollyana, muito obrigado mesmo! Boa recuperação pra você também!

  5. Oi amiguinho. Estou em procersso de exames com dr.Marçal. Vc gostou dele? Ficou cicatrizes feias na video? Ele deu a assistencia que vc precisou no pós operatório? Vc operou no Cristovão?

    • Oi Daniela, escolhi o Dr. Marçal por receber muitas indicações sobre ele, não só de pessoas conhecidas como de outros médicos também. Também recebi toda a assistência no pós-operatório. Lógico que não tem um manual de instruções mas há um celular que você pode ligar 24h para falar com um médico se precisar. Realmente a equipe dele é muito competente. Minha operação foi feita no Edmundo Vasconcelos e não ficaram cicatrizes feias não, acho que elas vão sumir logo, logo. A não ser a maior, mas nada significativo.
      Boa sorte pra você!

  6. Obrigada, amiguinho!
    Um beijo e sucesso!

  7. Há 4 meses comecei a pesquisar blogs e sites sobre o assunto e encontrei o seu.
    De tudo o que achei e li, o seu é o melhor.
    Suas informações e descrições são claras e didáticas, além de divertidas.
    Hoje estou com 6 dias de operada e comecei a ler novamente seus relatos desde o começo. É uma grande ajuda. Já pensou que isso pode dar em um livro?
    Obrigada e parabéns.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 46 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: